Aulas on-demand do Multirregional SBTMO 2022 já disponíveis

Aulas on-demand do Multirregional SBTMO 2022 já disponíveis

Já estão disponíveis on-demand as aulas do I Encontro Multirregional SBTMO! Por um período de 30 dias – até 19 de abril-, você pode ver e rever todas as sessões, que foram apresentadas entre os dias 11 e 12 de março de 2022.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Acesse o site do evento www.multirregionalsbtmo.com.br – clique na opção com a qual está acessando o site (desktop ou mobile); faça seu login; na plataforma, vá até a sessão “Programação Científica” e confira os materiais.

Que tal participar do “10th Annual “Meet The Experts of Transplantation and Myeloma”: EBMT And TCT”?

Organizado pela Sociedade Turca de TMO (Turkish Bone Marrow Transplantation Foundation), em parceria com o EBMT e ASTCT, o evento será realizado dias 31 de março a 1º de abril, na modalidade virtual.

Se você é associado adimplente da SBTMO pode garantir sua vaga e se inscrever gratuitamente!

Para ativar seu benefício, basta enviar e-mail para contato@sbtmo.org.br manifestando seu interesse.

O evento contará com a participação de experts como: Nicolaus Kroger, Mohamed Mohty, Anna Sureda, Nelson Leung, Navneet Majhail, Ibrahim Yakoub-Agha, Donal McLornan, Leonido Luznik, Pavan Reddy, Pieter Sonneveld, Stefean Schönland, Heinz Ludwig.

Confira informações sobre o evento www.expertsoftransplant.org

Voltamos: Reuniões FACT recomeçam a partir desta sexta, 18/03

A partir desta sexta-feira, 18 de março, às 7h, retornaremos nossa agenda semanal de reuniões de esclarecimento sobre o processo de Acreditação FACT para serviços públicos e privados.

Venha fazer parte deste encontro e tirar dúvidas com nosso agente facilitador. A troca de informações tem duração de 45 minutos e é realizada virtualmente, via zoom.

Para participar é preciso ser associado adimplente da SBTMO e se inscrever por meio deste link: https://bit.ly/sbtmo-reuniao-esclarecimentos-fact

Importante: o envio do link de acesso aos novos inscritos é feito automaticamente pelo zoom. Portanto, fique atento ao zoom como remetente em sua caixa de entrada e spam.

Os interessados devem realizar as inscrições até um dia antes da reunião. Agendamentos realizados no dia ficarão para a semana seguinte.

Caso você já tenha registrado sua inscrição, basta usar o mesmo link já ativado (ele se mantém o mesmo em todos os encontros).

Em caso de dúvidas, fale conosco contato@sbtmo.org.br

A iniciativa faz parte do “Programa de Acreditação em Terapia Celular FACT-SBTMO, que é fruto da parceria entre nossa Sociedade e a Foundation for the Accreditation of Cellular Therapy (FACT).

Para saber mais sobre o Programa, acesse https://sbtmo.org.br/acreditacao/

CERTIFICADOS DISPONÍVEIS – MULTIRREGIONAL SBTMO – RECAÍDAS PÓS-TCTH

Já estão disponíveis para download os certificados de participação no I Encontro Multirregional SBTMO, realizado no formato virtual nos dias 11 e 12 de março de 2022.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Acesse a plataforma do evento, vá até o totem certificados no hall e baixe o documento.

https://bit.ly/sbtmo-multirregional-2022-acesso-evento

Oportunidade: Inclusão no Registro Multicêntrico de TCTH até 24/03

Você já faz parte do RBTCTH? (Registro multicêntrico de Transplantes de Células – Tronco Hematopoéticas autólogos e alogênicos para doenças malignas e não malignas realizados no Brasil e relatados no Center for International Blood and Marrow Transplant Research)

Até o dia 24 de março é possível manifestar o interesse em ingressar no programa e, com isso ser contemplado já nesta próxima emenda do projeto, que será submetida ao CEP proponente do estudo para, então, seguir à apreciação da CONEP e dos CEPs locais.

Você pode enviar uma mensagem manifestando o interesse em fazer parte do programa também para o e-mail: registrobrasileiro@sbtmo.org.br

Participe! Para iniciar o processo, clique aqui e preencha a ficha de cadastro para obter os dados dos centros e CEPs, e fazer a inclusão de seu centro no estudo.

Atualmente, o RBTCTH reúne um total de 72 centros aprovados pela CONEP para enviar os dados do TCTH ao CIBMTR, havendo aprovação de 45 CEPs locais do projeto proposto, liberando a prática nos respectivos centros. As instituições seguem trabalhando de forma diligente para também alcançarem a anuência de seus comitês também.

A ativação dos 100% (72) no CIBMTR, passa a representar 90% (2865) dos transplantes do Brasil de acordo com os registros na ABTO em 2020, tendo uma representatividade de 90% dos TMOs alogênicos do país.

Quer conhecer algumas das razões para fazer parte do RBTCTH?

Os centros que já fazem parte do Registro ou que estão em processo de ingresso no Projeto, bem como adimplentes junto à SBTMO, podem solicitar dados de TCTH. Basta realizar a solicitação ao Grupo de Trabalho de Gerenciadores de Dados da SBTMO, via registrobrasileiro@sbtmo.org.br

Outro ponto importante é que o Registro é reconhecido pelo GeDECO e todas as solicitações passam pela autorização do grupo.

Acesse nosso site e confira os centros que já fazem parte do RBTCTH.

Declaração Conjunta: LABMT, SBTMO, ACHO, SMTT

Declaração Conjunta: LABMT, SBTMO, ACHO, SMTT

O Grupo Latino Americano de Transplante de Medula Óssea (LABMT),  juntamente com a Sociedade Brasileira de Terapia Celular e Transplante de Medula Ósea (SBTMO), a Associação Colombiana de hematología e Oncologia (ACHO) e a Sociedade Mexicana de Terapia Celular e Transplante de Medula Óssea (SMTT) apoiam o posicionamento das entidades internacionais Sociedade Americana de Transplante e Terapia Celular (ASTCT), a Sociedade Europeia de Transplante de Medula Óssea (EBMT) e a Rede Mundial de Transplante de Medula Óssea (WBMT) em relação à guerra iniciada pelas forças militares russas na Ucrânia, que vem ceifando a vida de civis inocentes, bem como colocando em risco a vida de pacientes que estão em tratamento de doenças como câncer ou que foram submetidos à transplantes, devido a falta de medicamentos e suprimentos médicos. 

As entidades latinoamericanas endossam as solicitações elencadas na “Declaração Conjunta sobre a Crise na Ucrânia”, a qual compartilhamos abaixo, emitida pelo ASTCT, EBMT e WBMT e expressa solidariedade a todos os ucranianos. Esperamos que o diálogo traga à luz a razão e haja paz, vencendo a guerra. 

Declaración conjunta – LABMT, SBTMO, ACHO, SMTT e GATMO-TC 

El Grupo Latinoamericano de Trasplante de Medula Ósea (LABMT), La Sociedad Brasileña de Terapia Celular y Trasplante de Médula Ósea (SBTMO), la Asociación Colombiana de Hematología y Oncología (ACHO) y la Sociedad Mexicana de Terapia Celular y Trasplantes de Médula Ósea (SMTT) apoyam la posición de las entidades internacionales ASTCT, EBMT y WBMT en relación a la guerra iniciada por las fuerzas militares rusas en Ucrania, que ha cobrado la vida de civiles inocentes, y que ha puesto en riesgo la vida de pacientes que están siendo tratados por enfermedades como el cáncer o que han sido sometidos a trasplantes, por falta de medicamentos e insumos médicos.

Las asociaciones abajo firmantes respaldamos las solicitudes enumeradas en la “declaración conjunta sobre la crisis en Ucrania”, que compartimos a continuación, y expresa su solidaridad con todo el pueblo ucraniano. Esperamos que el diálogo triunfe,  que haya paz y acabe la guerra 

Declaración conjunta – emitida el 2 de marzo – por ASTCT, EBMT y WBMT | Declaração Conjunta – emitida em 2 de março – por ASTCT, EBMT e WBMT)

Joint Statement on Crisis in Ukraine 
The American Society of Transplantation and Cellular Therapy (ASTCT), European Society for Blood Marrow Transplantation (EBMT), and Worldwide Network for Blood Marrow Transplantation (WBMT) firmly condemns the war started by Russian military forces in Ukraine. In particular, ASTCT, EBMT, and WBMT request that peace negotiations prioritize the needs of the most vulnerable Ukrainian people. Casualties among innocent civilians increase by the minute, including children. Patients with severe conditions, such as those with cancer or undergoing life-saving transplants, are currently affected by lack of medications and medical supplies, limited ability to travel to hospitals, lack of adequate nutrition. Healthcare providers and hospital staff in Kyiv remain in their hospitals to treat the patients in shelters, while bombs continue to hit the city. ASTCT, EBMT, and WBMT joins the international community and requests that:a) safe corridors can be established for patients and providers to travel to the hospital;b) international organizations can be allowed to ship medical supplies;c) patients whose care cannot be completed in Ukraine at this time may be allowed to travel to foreign countries offering to host them. ASTCT, EBMT, and WBMT expresses its solidarity to all the Ukrainian healthcare providers, friends and supporters worldwide, and hopes all the states currently engaged in wars will agree on the value of dialogue and peace that should not have borders.

Já está disponível para download o certificado do Jovem Transplantador – Verão – Edição Casos Clínicos

O certificado é destinado aos participantes que alcançaram 60% de progresso no curso, sendo consideradas as participações nas aulas ao vivo para definição do progresso total

Lembramos a todos que as aulas também podem ser vistas e revistas on-demand na plataforma.

Acesso: https://bit.ly/sbtmo-cursos-JT-verao-2022

ABHH e SBTMO alertam para o desabastecimento de imatinibe no Brasil; medicamento é indicado para tratamento de leucemia

AAssociação Brasileira de Hematologia, Hemoterapia e Terapia Celular (ABHH), e a Sociedade Brasileira de Terapia Celular e Transplante de Medula Óssea (SBTMO), vêm por meio desta nota conjunta tornar pública sua consternação em relação ao desabastecimento do medicamento Mesilato de Imatinibe, indicado para pacientes de Leucemia Mieloide Crônica (LMC).

O fármaco está em falta em todo o território nacional. Para se ter uma ideia, o Instituto Nacional do Câncer estima que este ano sejam diagnosticados quase 12 mil casos novos de leucemia, sendo 15% deles de LMC.

Vale lembrar que, em novembro de 2021, foi sancionado pela Presidência da República o Estatuto do Câncer em que ficou definido, entre outros pontos, que o paciente com câncer tem direito ao acesso universal ao tratamento recomendado e adequado desde a rede primária até alta complexidade, incluindo assistência de fármacos indicados.

A distribuição do fármaco em questão, assim como outros, é centralizada pelo Ministério da Saúde, que repassa às Secretarias de Saúde dos estados para, então, serem entregue aos hospitais.

Com base nesta expectativa, vimos por meio desta solicitar publicamente às autoridades regulatórias a máxima urgência e atenção ao cenário para que centenas de pacientes não tenham seus tratamentos impactados pelo trâmite logístico e burocrático. O tema, foi inclusive, repercutido em uma matéria no Jornal Nacional da TV Globo no dia 08 de janeiro: “Pacientes que dependem de medicamentos do Ministério da Saúde estão recorrendo a doações”

Tanto ABHH quanto SBTMO têm conhecimento de que esta não é a primeira vez que ocorre a falta deste fármaco, o que torna urgente encontrar soluções para que esta situação não mais se repita.

Atenciosamente,

José Francisco Comenalli Marques Junior, presidente da Associação Brasileira de Hematologia, Hemoterapia e Terapia Celular (ABHH)

Angelo Maiolino, vice-presidente da ABHH e diretor do Comitê de Acesso a Medicamentos e de Mieloma Múltiplo

Fernando Barroso, Presidente da Sociedade Brasileira de Terapia Celular e Transplante de Medula Óssea (SBtMO)

Citometria de Fluxo para monitorar a DRM-LLAb – é possível padronizar as análises?

Com 21 laboratórios envolvidos, projeto pioneiro da SBTMO e Amgen, tem demonstrado que sim

Está em andamento no Brasil, um programa pioneiro para padronização da avaliação da Doença Residual Mínima (DRM) em pacientes com Leucemia Linfoblástica Aguda de linhagem B (LLApB): o Projeto DRM-LLAb SBTMO-Amgen.

Com 21 laboratórios de citometria de fluxo que assistem aos centros de transplante de medula óssea nas regiões Sul, Sudeste, Nordeste e Centro-Oeste (confira lista abaixo), o Projeto teve início em agosto de 2019, com o propósito de promover as melhores práticas de avaliação da doença, com base no protocolo do consórcio de universidades europeias, o EuroFlow.

Neste um ano de atividades, o Projeto já tem contribuído com a qualificação dos laboratórios.

Sob a coordenação da hematologista especialista em citometria de fluxo, Maura R. Valério Ikoma-Colturato, do presidente da SBTMO, Nelson Hamerschlack, e da hematologista e membro da Sociedade, Belinda P. Simões, o Projeto já gerou dois estudos científicos, publicados em periódicos nacionais:

Minimal residual disease in Acute Lymphoblastic Leukemia in the context of hematopoetic stem cell transplantation  – Publicado na 1ª edição de 2020 do periódico científico da SBTMO, o Journal of Bone Marrow Transplantation and Cellular Therapy (JBMTCT). O artigo pode ser acessado aqui

Minimal residual disease assessment in acute lymphoblastic leukemia by 4-color flow cytometry: Recommendations from the MRD Working Group of the Brazilian Society of Bone Marrow Transplantation – Publicado em 21/11/2020, na Hematology, Transfusion and Cell Therapy pelo Grupo de DRM da SBTMO. O artigo, bem como seus suplementos – os quais contêm instruções de suporte sobre os processos de padronização, podem ser acessados aqui.

Para a Dra. Maura, que também assina ambos os artigos como autora principal, o Projeto “contribuirá com a uniformização da prática da DRM por citometria de fluxo no país, e possibilitará uma melhor avaliação da resposta nas fases críticas do tratamento, pela utilização de protocolo de alta sensibilidade e reprodutibilidade, trazendo ainda maior segurança na indicação do transplante de medula óssea (TMO), por meio do monitoramento da carga tumoral da doença, e dentro desse contexto ainda; e como marcador precoce de uma possível recaída”.

Confira os 21 laboratórios integrados ao Projeto:

  • DASA RJ
  • DASA SP
  • Laboratório Citometria – Getúlio Sales Diagnóstico (Natal/RN)
  • Laboratório de Citometria – Hospital Erasto Gaertner
  • Laboratório de Citometria de Fluxo – Hemoce
  • Laboratório de Citometria de Fluxo – Santa Casa de POA
  • Laboratório de Citometria de Fluxo do HCFMRP-USP
  • Laboratório de Citometria de Fluxo do Hospital de Amor Barretos
  • Laboratório de Citometria de Fluxo HIAE
  • Laboratório de Citometria de Fluxo IMIP
  • Laboratório de Imunofenotipagem – HUCFF/FM/UFRJ
  • Laboratório de Imunofenotipagem HCUFPR
  • Laboratório de Imunofenotipagem N. Sra. Das Graças
  • Laboratório de Imunologia do Serviço de Atividades Laboratoriais do CEMO / Inca
  • Laboratório de Marcadores Celulares |Hemosc/CEPON – Florianópolis
  • Laboratório LAC – Nossa Senhora da Conceição – Porto Alegre
  • Laboratório Médico Santa Luzia
  • Núcleo de Oncologia e Hematologia | Santa Casa BH
  • Oncobio
  • Sabin Medicina Diagnóstica
  • Serviço de Diagnóstico Laboratorial do Hospital de Clínicas de Porto Alegre (SDLAB – HCPA)

Eleitos os membros da nova gestão do Grupo de Trabalho de Gerenciadores de Dados em TCTH da SBTMO

Foram eleitos os novos coordenadores do Grupo de Trabalho de Gerenciadores de Dados em TCTH da SBTMO – gestão 10/2021 a 10/2023.

Conheça cada um dos integrantes desta nova gestão:

Presidente: Cinthya Muniz Corrêa Rocha da Silva 

Vice-presidente: Anderson João Simione

Coordenadora de trabalhos científicos: Heliz Regina Alves das Neves

Suporte científico: Paula Moreira da Silva Sabaini

Suporte administrativo e científico: Bruna Letícia da Silva Santos Geraldo

Suporte CIBMTR: Monique Ammi

Para este próximo biênio, os gerenciadores de dados têm como perspectivas e metas:

• Incluir novos membros no grupo dos GDs;

• Elaborar os POPs: Atribuições de cada cargo do GTGD e Organização do serviço para iniciar o registro de dados;

• Aumentar o número de centros que realizam o reporte de dados ao CIBMTR;

• Incentivar 100% dos centros de TCTH a participarem do RBTCTH;

• Elaborar cronograma científico para envio de trabalhos, como: abstracts, artigos e aulas;

• Incentivar a organização das próximas chapas para compor o GTGD;

• Organizar e capacitar os GTGDs, por regiões – Processo de regionalização;

• Expandir o modelo de gerenciamento de dados brasileiro, como: formação de grupo de trabalho, capacitação dos GDs e organização da infraestrutura dos centros para a América Latina;

• Desenvolver tutorias para preenchimento das fichas do CIBMTR;

• Atualizar o summary slides do Brasil;

• Renovar a certificação via SBTMO e SNT dos centros brasileiros;

• Consolidar o projeto do espaço no site da SBTMO aos sócios para consultarem aulas e outros materiais dos GDs;

A pedido da equipe de comunicação da SBTMO, Cinthya compartilhou algumas palavras quanto ao sentimento do grupo, que caminha para seus 3 anos de existência enquanto grupo, em uma atividade ainda pouco conhecida no país. “No princípio, éramos três: Anderson (ou Ander), Heliz e eu. Nos chamavam carinhosamente de ‘os três mosqueteiros’. Agora,  somos mais de 20 GDs espalhados por todo o Brasil e nós ‘5’: Ander, pacífico, genial na gestão e análise dos dados; Heliz, madura e de uma inteligência ímpar; Bru, excelente comunicadora e domínio de treinamento e Paulinha, resoluta e assertiva nas colocações, além da fluência em inglês. Olhar para o início da nossa jornada e ver os passos que estamos trilhando, muito nos honra. Fazer parte deste processo de consolidação dos gerentes de dados do Brasil é desafiador, mas, caminhamos com a certeza de que valerá à pena”. 

Ao grupo geral dos GDs, em nome do GTGD, agradecemos o empenho em fazer acontecer o registro do Brasil, através do preenchimento do CIBMTR, e de outros registros para se fazer conhecido os outcomes do país e favorecendo principalmente o paciente.

“Nossa expectativa é dar continuidade aos projetos iniciados desde a criação de nosso GT, como a expansão do Registro Brasileiro do Transplante de Células- Tronco Hematopoiéticas (RBTCTH) e a geração do 1º Summary Slides do Brasil. Agradecemos à diretoria anterior da SBTMO, na figura do Dr. Nelson Hamerschlak, por ter acreditado na importância do Gerenciamento de Dados para compreensão do cenário do TMO em nosso País. É preciso mencionar a valorosa contribuição do Dr. Marcelo Pasquini e da Monique Amni, que representam o CIBMTR. Esperamos seguir juntos neste ritmo, alcançando o propósito da nossa Sociedade, por meio da nova diretoria, que tem à frente Dr. Fernando Barroso”, relata ela.

A SBTMO aproveita para desejar a todos os GDs uma excelente gestão.