Norte do País precisa de centros de transplante de medula óssea
13/07/2011
“A região norte do Brasil precisa ter seus centros de transplante de medula óssea”, declarou o diretor da Sociedade Brasileira de Transplante de Medula Óssea (SBTMO), Dr. Luis Fernando Bouzas durante debate sobre transplante de medula óssea (TMO) no segundo dia do III Congresso Pan Amazônico de Hematologia e Hemoterapia, em Belém (PA), encontro que reuniu mais de mil especialistas em doenças do sangue.
 
De acordo com o especialista, as cidades mais cotadas para integrar a rede são Belém e Manaus, ambas as cidades cujos hemocentros fazem parte do Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea (REDOME). “Atualmente, os pacientes de doenças oncohematológicas, como linfomas, leucemias e mielomas, entre outras, com indicação para TMO e que vivem na região  Norte, precisam ser transportados até a região sul/sudeste ou aos centros de transplante do nordeste que já estão com muitos pacientes aguardando em suas listas”, relata.
 
No Brasil há 65 centros de transplantes, a maioria na região sul/sudeste. Para instalar um centro na região, as instituições e/ou os governos estaduais precisam elaborar um projeto a ser submetido à aprovação do Ministério da Saúde. Presente no Congresso, o Secretário de Saúde do Pará, Hélio Franco de Macedo Junior, deu “sinal verde” para o projeto.
 
O Dr. Bouzas também é coordenador geral do Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea (REDOME) e da Rede BrasilCord.