Médicos têm acesso a publicações científicas
11/07/2012

Os 383 mil médicos  brasileiros contam  com novo instrumento  para auxiliar na tomada  de decisões clínicas

O portal Saúde Baseada em  Evidências é uma iniciativa do governo federal  que possibilita o acesso a  diversas publicações científicas, com informações  atualizadas, para subsidiar  a tomada de decisão no  diagnóstico, tratamento e  gestão. Por meio do portal os profissionais também  poderão utilizar ferramentas como calculadoras médicas e de análise estatística. 

A base de dados do Saúde Baseada em Evidências foi selecionada a partir de levantamento realizado por pesquisadores e docentes de universidades públicas. Foi levada em conta a relevância e  a atualidade do conteúdo  para atender as principais necessidades dos profissionais. Ao todo, cerca de 1,8 milhão de profissionais de saúde vinculados  a conselhos profissionais  terão acesso ao sistema.
 
“Esse é o resultado de uma aposta do CFM, que por mais de dois anos buscou fórmulas que permitissem aos médicos acessar sites e publicações que  oferecem conhecimento atualizado. Entendemos que com o Portal Saúde Baseada em Evidências, o profissional terá um instrumento importante para  sua capacitação contínua  e para o exercício diário  da profissão, independentemente de onde resida”,  avalia o vice-presidente  do CFM, Carlos Vital, em cujo entender a iniciativa da atual gestão do CFM, que levou à oferta gratuita de conteúdo aos  médicos brasileiros, com a participação do governo,  confirma a preocupação em oferecer serviços aos  profissionais com a ajuda  da entidade: “Impossível ignorar os benefícios do novo portal, como a economia e a garantia de conteúdos pertinentes de  qualidade. É uma vitória  dos médicos”, destaca.
  
Acesso - “É importante que os  médicos acessem a base de dados disponibilizada no portal Saúde Baseada em Evidências. Essa participação permitirá que possamos fazer uma avaliação da iniciativa com o intuito de torná-la ainda melhor”, afiro secretário de Gestão de Educação  e Trabalho do Ministério da Saúde, Mozart Salles. Segundo ele, o governo federal – em parceria com os conselhos profissionais da área da saúde – enxerga na ferramenta uma conquista para a qualificação da assistência .Trata-se de um serviço que amplifica democratiza o acesso ao conhecimento técnico, científico e prático e que teve no Conselho Federal de Medicina um interlocutor fundamental para que fosse devidamente implementado”, acrescenta Mozart.
 
Em reunião com o vice-presidente do CFM, o secretário do Ministério pediu apoio da entidade na divulgação da novidade entre os mais de 383 mil médicos brasileiros. Até o momento, o Ministério da Saúde investiu em torno de R$ 10 milhões no projeto.