Highlights of ASH reúne 800 especialistas
28/05/2012

 Hematologistas brasileiros, latinos e norte-americanos participaram da quarta edição do Highlights of ASH in Latin America (HoA-LA), nos dias 18 e 19 de maio, em Foz do Iguaçu, Paraná. Ao todo, 800 especialistas tiveram a oportunidade de assistir a palestras e acompanhar mesas-redondas sobre alguns dos principais assuntos apresentados durante o 53º ASH Annual Meeting, que aconteceu em dezembro de 2011.

Na cerimônia de abertura, o diretor de Relações Internacionais da ABHH e coordenador do encontro, Carlos Chiattone, ressaltou a importância desta integração entre especialistas de toda a América Latina. Ao longo dos dois dias foram abordados o diagnóstico e manejo de distúrbios hematológicos malignos e benignos, incluindo leucemia aguda e crônica, linfoma, mieloma múltiplo, distúrbios trombóticos, síndromes mielodisplásicas, distúrbios mieloproliferativos, anemia, medicina transfusional e distúrbios da hemostasia.

Durante os intervalos houve espaço para a criação de redes de trabalho, painéis de discussão e almoços com o especialista, atividades do programa que proporcionaram aos participantes discutirem casos de pacientes reais com os líderes da área, além de obter informações que levam a uma mudança de condutas.

Com mais da metade dos participantes inscritos, o Brasil teve a maior delegação do encontro, seguido da Argentina (20,7%); Uruguai (7,2%) e Chile (4,5%). Da América Central, participaram quatro especialistas, sendo uma da Guatemala e três da República Dominicana. O HoA in LA recebeu ainda três congressistas de fora das Américas: um do Afeganistão, um da República Tcheca e um da África do Sul.

Evolução científica

Como preparar um artigo e submetê-lo ao Blood Journal e ao ASH Annual Meeting foram os temas das primeiras apresentações no segundo dia de encontro do 4º HoA-LA, sob a moderação dovice-diretor científico da ABHH, José Orlando Bordin e por Rodrigo Calado (Univ. Ribeirão Preto). As discussões contaram com a participaçao de Richard A. Larson e Armand Keating, presidente da ASH.

Larson mostrou aos congressistas como é o processo submissão de artigos para o Blood Journal. Segundo ele são publicados mais de 5.000 artigos por ano. O convidado ressaltou ainda que o paper deve ser conciso. De acordo com Keating a partir de 7 de junho terá início o período para submissão de trabalhos para o ASH com o deadline em 14 de agosto.

Oncohematologia latinoamericana

O programa deste ano também incluiu reunião entre os presidentes das associações de hematologia lationamericanas, o "Breakfast session: Hematology in Latin America", em que foi discutida a situação da hematologia de cada país. O Brasil foi representado pelo diretor de relações internacionais, Carlos Chiattone, além de contar com a colaboração da vice-diretora de Comunicação, Silvia Magalhães. Participam da Breakfast Session Argentina, Bolívia, Paraguai, Chile, Peru, Venezuela, Uruguai e Colombia.

Chiattone convidou todos a integrarem o Registro Internacional de LNH de T-Cell Periférico (T-Cell Project). O especialista lembrou a todos da importância do levantamento desta e das demais patologias para progredirem nos tratamentos. “Foi uma reunião muito produtiva. Decidimos, entre outros assuntos, inserir todos os países presentes no Breakfast no `T-cell Project’".