Parceria inédita entre ABTMO e SBTMO revela a sobrevida de pacientes pós TMO no Brasil
13/04/2018

A Associação Brasileira de Transplante de Órgãos (ABTO) divulgou recentementea pesquisa “Dimensionamento dos Transplantes no Brasil e em cada estado” entre 2010 e 2017. Pela primeira vez o estudo contabilizou a sobrevida dos transplantes de medula óssea autólogo e alogênicos no país, resultado da parceria entre a ABTMO e SBTMO.

O registro, iniciado em janeiro de 2010, mostra que houve 17.450 TMO, com taxa de sobrevida de 89% no primeiro ano para transplantes autólogos e 60% para transplantes alogênicos. Após oito anos, a curva de sobrevida mostra que 71% dos procedimentos autólogos foram bem sucedidos, enquanto no alogênico apenas 47% sobreviveram ao transplante.

Os números ajudam na avaliação adequada do benefício dos transplantes no Brasil. Vale ressaltar que só foram analisados os dados de equipes que informaram 100% dos resultados. Confira a pesquisa na íntegra.