ANVISA aprova uso de Lenalidomida para combate de MM e SMD
08/01/2018

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) aprovou, no último dia 26 de dezembro, o uso da Lenalidomida no Brasil. O medicamento fundamental para o tratamento do mieloma múltiplo representa um importante passo para a ampliação da sobrevida e melhora da qualidade de vida de pacientes.

Angelo Maiolino, hematologista e membro do Conselho Técnico Científico da SBTMO, destaca que a droga é um pilar no combate à doença. “Se fosse possível escolher entres os medicamentos disponíveis para o tratamento da doença esse é um que não poderia faltar”, diz.

No Brasil, a droga é indicada, em combinação com a dexametasona, para o tratamento de pacientes com mieloma múltiplo refratário ou recidivado que já tenham recebido pelo menos um esquema de tratamento prévio. A lenalidomida também é recomendada para pacientes com anemia dependente de transfusões decorrentes de síndrome mielodisplásica.

A expectativa agora é de quando o remédio será incorporado ao Rol de procedimentos com cobertura obrigatória pela Agência Nacional de Saúde (ANS). “A aprovação pela Anvisa é o primeiro passo, mas isso não configura, ainda, a questão do acesso. Como se trata de uma droga oral, ela teria que entrar no rol da ANS, que foi publicado recentemente. O próximo só será revisto em 2020. A aprovação da lenalidomida foi tão atrasada que isso prejudicará o acesso a ela”, afirma Maiolino.

A Lenalidomida já é comercializada nos Estados Unidos, União Europeia e em outros 46 países no mundo. No Brasil, o processo de aprovação do medicamento levou quase dez anos.