Trabalho de vice-presidente da SBTMO é destaque no ASH Annual Meeting 2015
08/12/2015

A vice-presidente da Sociedade Brasileira de Transplante de Medula Óssea (SBTMO), Belinda Simões, que também atua na Faculdade de Medicina da USP em Ribeirão Preto, faz parte de uma equipe internacional que teve o seu trabalho selecionado entre os melhores do maior congresso de doenças do sangue do mundo, o 57º ASH, que se encerra nesta terça-feira em Orlando, nos Estados Unidos. Ela é a única brasileira do grupo.

O trabalho provou que o Transplante de Medula Óssea (TMO) é o único tratamento curativo para esse tipo de anemia. Dos mil casos acompanhados houve cura em 900 deles. O TMO feito entre irmãos deve substituir o tratamento convencional com quelante de ferro, que piora a qualidade de vida do paciente com muitas dores e afastamento da escola, do trabalho e do convívio social, explicou a especialista. O tratamento convencional não consegue evitar os derrames cerebrais, inclusive em crianças, destacou Belinda.

Os casos analisados ocorreram em vários países, inclusive no Brasil, entre os anos de 1991 a 20013 com a participação de cientistas dos Estados Unidos e da Europa. A anemia falciforme é muito comum no Brasil por ser hereditária.
“Entre tantas pesquisas e descobertas com novas moléculas, nosso trabalho foi reconhecido neste congresso, o que é um orgulho para toda a equipe e para os brasileiros. A descoberta vai mudar a maneira de tratar esta doença”. No Brasil, o SUS está analisando a adoção desse tratamento em todo o país, frisou Belinda.