Carta da presidente: Propostas estratégicas para fortalecer a especialidade
07/08/2014

Com o objetivo de estabelecer estratégias que possam contribuir para o processo de fortalecimento e reconhecimento da especialidade, a presidente da SBTMO, Lúcia Silla, emitiu carta aos associados da Sociedade na qual traz à pauta o assunto.

Entre os aspectos ressaltados pela presidente, está a discussão quanto à capacidade instalada no Brasil para a realização dos transplantes autólogos e, em especial, alogênicos, em que se faz fundamental haver compreensão quanto à dinâmica de leitos disponíveis no País para haver um panorama da situação e, a partir daí, prover soluções para a situação de oferta x demanda por leitos para o procedimento. Para tanto, um dos pontos salientados é a necessidade de distinguir as atividades entre TCTH autólogo e alogênico.

A carta também aponta para a demora preocupante da revisão da Portaria dos Transplantes, que irá entre outros aspectos, contemplar a inclusão do procedimento como opção terapêutica aos pacientes falcêmicos, a pendência na liberação de recursos para a ampliação das unidades de transplante e o fomento ao Projeto de Centro Tutor.

“Precisamos buscar juntos mais ações em busca do reconhecimento de nossa entidade e classe. Somos tão importantes quanto os transplantadores renais (cirurgiões e clínicos), os de fígado, os de pulmão, os de pâncreas, os de intestino (pediatras e clínicos de adulto), para citar alguns, e que têm rotineiramente reuniões no SNT”, declarou a presidente da SBTMO.

Confira aqui a carta na íntegra.