SBTMO participa de BMT Tandem Meetings
27/03/2014
As perspectivas mundiais para o transplante de células-tronco hematopoéticas (TCTH) foram apresentadas durante o 2014 BMT Tandem Meetings. Sob organização da American Society for Blood and Marrow Transplantation (ASBMT) e do Center for International Blood and Marrow Transplant Research (CIBMTR), o encontro ocorreu no Texas, Estados Unidos, entre os dias 26 de fevereiro e 2 de março.
 
A presidente da SBTMO, Lúcia Silla, e o tesoureiro, Luis Fernando Bouzas, representaram a entidade na ocasião. Segundo ela, foram apresentadas possibilidades promissoras para reduzir efetivamente a morbimortalidade no TMO, como a utilização da ciclofosfamida no pós-transplante imediato, tanto no cenário dos transplantes haploidênticos quanto nos aparentados HLA idênticos, utilizando-se sangue periférico ou medula óssea como fonte de células tronco hematopoéticas. Além da morbimortalidade, a ciclofosfamida também reduz a utilização de imunossupressores de maneira geral no pós-transplante. “Em um país como o Brasil, em que a população predominante é atendida no Sistema Único de Saúde (SUS) e tem dificuldade na adesão aos imunossupressores, essa redução seria extremamente importante”, enfatizou a presidente da SBTMO.
 
Apesar de ser uma tecnologia já descrita há bastante tempo por pesquisadores da John Hopkins University, recentemente ela foi retomada pelo mesmo grupo e os resultados estão sendo repetidos em vários locais, inclusive no Brasil.
Outro destaque da programação do encontro foi a utilização de linfócitos geneticamente modificados para destruir células leucêmicas. Na ocasião, pesquisadores do Memorial Sloan Kettering Cancer Center, apresentaram resultados promissores sobre a técnica.
 
A presidente da SBTMO destacou ainda que o State of the Science Symposium, realizado dois dias antes do início do encontro, foi um sucesso. Segundo ela, grupos de estudos do CIBMTR apresentaram projetos de pesquisa em TMO atualmente em andamento e vários já com resultados parciais. “Obtivemos conhecimento sobre tudo o que está acontecendo nos Estados Unidos, no âmbito do CIBMTR”, contou.
 
Durante o encontro, a presidente da SBTMO também se reuniu com uma empresa de registros hospitalares e de pesquisa de banco de dados chamada Velos, para discutir de que forma eles poderiam ajudar a reestruturar o registro brasileiro de TMO.