SBTMO repercute estudo publicado na Science Translational Medicine
20/02/2014

Resultados apontam avanços promissores no campo do uso de células T como terapêutica para LLA

A reportagem Nova esperança contra a leucemia, publicada em 19/02 no jornal Correio Braziliense, repercutiu estudo publicado no periódico Science Translational Medicine, que alcançou resultados considerados “uma quebra de paradigma no campo da terapia celular como opção terapêutica da leucemia” pela comunidade científica. A declaração sobre a pesquisa experimental é da presidente da Sociedade Brasileira de Transplante de Medula Óssea (SBTMO), Lúcia Silla. Segundo ela, os resultados apresentados pelos pesquisadores são promissores e podem vir a revolucionar a terapêutica em um futuro próximo.

Em andamento no Centro de Câncer Memorial Slan-Kettering, em Nova York (EUA), a metodologia consiste no uso de células T como tratamento de um tipo de leucemia linfoblástica aguda de células B. O tratamento envolve células geneticamente modificadas para ativar um receptor que ajuda as células T a localizar e destruir células cancerígenas. Dos 16 pacientes envolvidos no estudo, 88% (14) entraram em remissão após o tratamento com versões geneticamente modificadas de suas próprias células do sistema imunológico.

Clique na imagem para conferir a reportagem na íntegra.