Estrutura do TMO pauta audiência pública na Semana Nacional de Doação de Medula Óss
20/12/2013

Na Semana de Mobilização Nacional para Doação de Medula Óssea, celebrada entre os dias 14 e 21 de dezembro, a Comissão de Seguridade Social e Família e o deputado Beto Albuquerque (PSB-RS) promoveram a audiência públicaComo Melhorar a Infraestrutura para a Realização de Transplantes de Medula Óssea?, na Câmara dos Deputados, em Brasília (DF), no dia 17 de dezembro.

 Na ocasião, especialistas em TMO discutiram a infraestrutura para a realização do procedimento no País e analisaram que a maior dificuldade na área é a disponibilidade de leitos e o baixo número de centros especializados nesse tipo de transplante.

 De autoria de Beto Albuquerque, a Lei nº 11.930/2009 – conhecida como Lei Pietro – instituiu a Semana de Mobilização Nacional para Doação de Medula Óssea com o objetivo esclarecer o tema junto à população e incentivar o cadastro de doadores no Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea (Redome). A Lei é uma homenagem ao filho de Albuquerque, chamado Pietro, que faleceu vítima de leucemia mieloide aguda (LMA) em 2009, após 13 meses de luta contra a doença.

 Segundo Albuquerque, muito se avançou no cadastro e na realização de transplantes desde a época da descoberta da doença de Pietro, em 2008. Atualmente, o Sistema Único de Saúde (SUS) é responsável por 98% dos transplantes de medula, órgãos e tecidos. Contudo, o deputado alertou para a necessidade de o Governo Federal elevar a qualidade do financiamento público de saúde. “Só assim aumentaremos a oferta da qualidade do serviço no País”, afirmou.

 Albuquerque aproveitou a oportunidade para enfatizar a necessidade de conscientizar os voluntários cadastrados sobre a importância da doação, pois aproximadamente 15% dos doadores compatíveis não comparecem para realizar o procedimento quando são convocados.