Emoção marca abertura do XVI Congresso da SBTMO em Ribeirão Preto
07/08/2012

A solenidade de abertura do XVI Congresso da Sociedade Brasileira de Transplante de Medula Óssea (SBTMO) foi marcada por momentos de emoção e saudades do professor Júlio César Voltarelli, que faleceu em março, cinco meses antes de ver concretizado o encontro científico pelo qual vinha se empenhando em realizar na sua cidade, Ribeirão Preto, e do qual era presidente.  

Homenageado, Voltarelli foi lembrado por seus feitos e contribuições como cientista, médico e cidadão ribeirão pretano. Na ocasião estiveram presentes a esposa e filha do médico. A presidente científica do Congresso, Belinda Simões (foto), abriu a sessão solene relatando um pouco da história do especialista por diferentes ângulos: o aluno, o mestre, o pesquisador, o gestor, o marido, o pai e o amigo.
 
De acordo com Belinda, dois aspectos que motivaram Voltarelli a trazer o congresso da Sociedade para Ribeirão foram o fato de a cidade ser berço da produção científica, em especial no campo do TMO, e por este ano a unidade de transplante do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da cidade completar 20 anos. “Buscamos proporcionar aos participantes dias proveitosos, descontraídos, da forma que ele (Voltarelli) gostaria que fosse. E, sobretudo, que as palavras de ordem do encontro fossem integração multiprofissional entre todos aqueles que compõem a equipe de TMO”. 
 
O primeiro tesoureiro da SBTMO, Luis Fernando Bouzas (foto), que na ocasião representou o presidente da entidade, Frederico Dulley, disse ser esta uma justa homenagem a Voltarelli, que assumiria a gestão da Sociedade no triênio2012-15. “Júlio tinha o dom de transmitir o conhecimento com facilidade, de ser um entusiasta e transmitir este espírito aos seus colegas e alunos. Sem dúvida ele foi um motivador do desenvolvimento de pesquisas na área do TMO no Brasil”. 
 
Em nome da equipe da unidade de transplante liderada por Voltarelli, a médica hematologista e, segundo Belinda, herdeira do legado do pesquisador, Maria Carolina de Oliveira Rodrigues, expressou o sentimento do grupo em relação a ausência do especialista. “Ele nos deixou precocemente. Para nós é uma perda inestimável. Celebramos sua memória e manteremos seus feitos vivos a cada dia”. 
 
Além de Belinda e Bouzas, compuseram a mesa de honra da abertura (foto) o superintendente do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, Osvaldo Massaiti Takayanaqui; o gerente geral da Gerência de Sangue, Outros Tecidos, Células e Órgãos (GGSTO) do Ministério da Saúde, Luiz Armando Erthal; o diretor da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, Benedito Carlos Maciel; e o diretor presidente do Hemocentro da cidade, Dimas Tadeu Covas, que representou também a Associação Brasileira de Hematologia, Hemoterapia e Terapia Celular (ABHH), da qual é vice-presidente; e o diretor da ABHH, Roberto Passetto Falcão.
 
Durante a solenidade Belinda anunciou o lançamento do Prêmio Júlio César Voltarelli de Melhor Trabalho Científico na área de TMO, uma iniciativa da SBTMO com o apoio educacional da empresa Pierre Fabre. De acordo com Belinda, o objetivo é eternizar os feitos de Voltarelli, por meio de uma ação, que assim como ele, fomentasse a pesquisa científica no Brasil. 
 
Para saber mais sobre o Prêmio Júlio César Voltarelli, acesse aqui.